Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

sexta-feira, dezembro 19, 2008

Mitopoese III: Aphrodite


Dos olhos saltam peixes imprevistos,
não há punhais.
As mãos são aves, ágeis, finas.
Luzes feéricas ao seu passar,
cabras e carneiros no caminho de seus pés.
Acendam-se os luzeiros da noite:
Ei-la!



Eurico



***********************************

clique na imagem de Vênus
e conheça o sítio original
*************************************


Comentário deste poema em
Um Cronist'Amador

Publicado originalmente em
Blocos Online
Postar um comentário