Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

quinta-feira, fevereiro 24, 2011

BATISMO DO FLABELO (Flores do Capibaribe no Aurora dos Carnavais 2011)

Essa postagem eu preparei com especial carinho para o amigo Jens, que está num camarote virtual, lá no Rio Grande do Sul, em plena recuperação de um susto, que passou, claro!
Jens, amigo, note bem no detalhe das cores rubras que predominam em nossas Flores. Creio que irás gostar! rsrsrs

A alegria começa no ônibus fretado


Minha inspiração eu levo de casa!


O compositor Chico Zoma leva sempre sua Lia



A festa é das famílias da Várzea!


Os casais estão felizes!




O alegre bando invade a Rua da Aurora!


O poeta Romero Amorim veio nos receber



E as Flores da Várzea, felizes, queriam clics!


E logo brotavam no meio do povão!

A Aurora fica mais bonita com nossas Florinhas!

Nosso flabelo dava as boas vindas aos brincantes!


Flabelista e floristas receberiam o batismo do nosso Bloco 

Roberto e Wenna Fantini, nossos padrinhos de flabelo. 

Era o dia de nosso batizado. O batismo do flabelo é uma cerimônia simples, mas muito cheia de energia e nossos padrinhos eram o casal Wenna Lúcia, do Bloco da Saudade e seu esposo, o compositor Roberto Fantini, do Bloco Confete e Serpentina. Estávamos em boas mãos!!!

Na próxima postagem, camarada Jens e amigos, trarei imagens da festança!!!

Nota:
Os clics são da equipe de apoio (familiares, rsrsrs) do Flores do Capibaribe.
Postar um comentário