Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

sábado, julho 11, 2009

Pausa para ouvir uma locomotiva (tendo ao fundo Debussy)

Desanimados? Entediados? Deprimidos?

Pois, escutem, amigos, as palavras desse homem, que se definiu como uma locomotiva de pintar. Que pintou com febre, entre delírios, com chuva e com sol. Pintou até com uma tempestade de areia nos olhos. Atentem para a sua pureza d'alma e sua ingênua, mas sábia, compreensão da realidade. Seria um naïf, em nossos dias? Mas, o que ele não faria se tivesse a tecnologia que nós temos!

Atenção: cliquem Esc para inibir o áudio da página. Há uma linda rapsódia de Debussy, como fundo musical do vídeo.

P.S.: esqueci de dizer que o texto desse vídeo é baseado em fragmentos do livro Cartas a Theo, que revela a amizade, profunda e fraterna, entre os irmãos Vincent e Theodore Van Goh.

Postar um comentário