Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

terça-feira, setembro 14, 2010

MASCAVO

























"os antagonismos não resolvidos da realidade retornam às obras de arte como os problemas imanentes de sua forma" (Adorno)




Eu não sou isso.
Esse instante entre/cortado à lâmina de estrovenga.
Essa instável dissolução caiena.
Esse devir usinável.
Essa face de isopor.
Esse retraço
de coisa mercadejada,
Esse nada ou quase nada, embebido em suor e melaço.

E sou quase tudo isso.
Um oco histórico, sem mim.
Um pária, a esboroar-se entre alfenins
Um nada esmagado no bagaço.

(e esse re/corte me faz enxergar mais fundo e além
dessa matéria inerte, em que eu estou sendo,
ou em que me deixo estar...)

Mas sou um outro,
inútil tacho de bronze
em fogo morto;
Sou um outro,
mascavado e espúrio, mas o Outro.

Est’outro

que não esse...


*****************

Fonte da imagem:Auto-retrato

Fonte da epígrafe:Alea: Estudos Neolatinos
Postar um comentário