Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

segunda-feira, maio 18, 2009

Momento - Augusto Frederico Schmidt




















(imagem do google)


Desejo de não ser nem herói e nem poeta
Desejo de não ser senão feliz e calmo.
Desejo das volúpias castas e sem sombra
Dos fins de jantar nas casas burguesas.

Desejo manso das moringas de água fresca
Das flores eternas nos vasos verdes.
Desejo dos filhos crescendo vivos e surpreendentes
Desejo de vestidos de linho azul da esposa amada.

Oh! não as tentaculares investidas para o alto
E o tédio das cidades sacrificadas.
Desejo de integração no cotidiano.

Desejo de passar em silêncio, sem brilho
E desaparecer em Deus – com pouco sofrimento
E com a ternura dos que a vida não maltratou.


**********************************

"Há dias que não sei o que se passa, eu abro o meu Neruda e apago o sol", dizia Vinícius... os mais engajados vão dizer que isso é resignação, autocomiseração, mas, hoje, entendo bem o que sentia o Poetinha, nesses momentos. Senti, por esses dias, algo assim como descreve o Augusto Frederico Schmidt.

********************************

SCHMIDT, Augusto Frederico. Antologia Poética. Seleção de Waldir Ribeiro do Vale. Introdução de Bernardo Gersen. Rio de Janeiro: Leitura, 1962.

Sobre o autor:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Augusto_Frederico_Schmidt

Fonte do texto:
http://jamesemanuel.blogspot.com/2008/01/augusto-frederico-schimidt-3.html

Fonte da midi voice:
Charles50tao.com.br






***********************************



Postar um comentário