Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

terça-feira, maio 05, 2009

Das Dores (um pretexto para ouvir os Beatles)




















...................................a Lennon e McCartney



Das Dores era uma mulher solitária.
Habitava uma casinha de taipa no sertão do Exu,
E criava muitas cabras, todas pretas, soltas pela caatinga.

Só costumava ir à missa
nos dias em que havia casamento,
a ver se conseguia pegar o buquê.
Nesses dias o velho padre lhe falava da salvação da alma.

Flores na mão, seguia rindo,
pela estrada empoeirada.
Ria muito, aquela mulher, casta e solitária.
Ria, não se sabe de quê.
As cabras a seguiam, em cortejo, comendo as flores murchas.

Quando morreu não havia ninguém no enterro.
As cabras não vieram: não houve flores.
Somente o vulto de uma cadela, preta e triste, rondava o campo santo.

O velho pároco recitou um trecho do Sermão de Santo Antonio aos Peixes, à beira da cova rasa.
“Vos estis sal terrae...”
Um inútil sermão para uma alma extinta e breve.

Que o sal dessa terra seca lhe seja leve...





***************************************

Eurico uma releitura livre e
ditada pela emoção que sinto ao ouvir
Eleanor Rigby.

Mormente, ao ler a versão da Cássia Eller.

Moral do poeminha:há solidão em qualquer lugar,
em Liverpool
ou no Exu.

**************************************


Fonte da imagem: http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/uploaded_images/foto-vidas-secas-777846.jpg


Releia DAS DORES, ouvindo Eleanor Rigby






*************************************
Postar um comentário