Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

quinta-feira, dezembro 22, 2011

CAMPO MINADO















Passeiam, plácidos,
cordatos semantemas,
e há um relvado remanescente (das serras).
O horizonte, curvo e calvo.
O tempo se inclina em cerca viva.

Tudo (e nada) mera perspectiva.


Serpeiam flácidos fonemas
na pedra, ou por entre
o que há de arborescente.
O limo aqui leva a um di/lema:

Não há qualquer rota de fuga.

O Mundo,
Ó Ra(imundo)
não está raso ou profundo.
Está na rima.
E a noite ainda planta minas
sob as gramíneas...




Fonte da img:
http://farm2.static.flickr.com/1057/751121752_2b0a902c78.jpg

Mercedes Sosa - Como la Cigarra: (gracias, Rejane Martins)
Postar um comentário