Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

terça-feira, agosto 30, 2011

POEMA QUASE NOIR




















Não levarás mistério às coisas que fenecem.
Um por do sol é apenas o sol a se por.

Se houver um branco níveo nos cabelos,
abdica do espelho
ou da lembrança.

Faz quase escuro...
e a hera já entretece todo o muro.







Fonte da imagem:
Recanto de jardim

Abanca-te, a ouvir Sogno, por Andrea Bocceli:
Postar um comentário