Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

quarta-feira, março 29, 2017

O Jardim (mitopoese)

Ramos - E. B. Brito


 Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não estiver ligado à videira. João 15:4


Deus nem faz,
Nem realiza.
Deus não cria,
Apenas É!

Deus é uma abundância ôntica
que transborda em nascimentos.

Pedras, rios, mar e homens,
as estrelas mais distantes
e as coisas mais triviais,
não são fortuitas,
mas frutas
desse ramo original,
ligado ao jardim arcaico
daquele mundo auroral.

Ser é Seu único verbo
de tal forma conjugado
que sopra os mitos fundantes
do que é substantivado.

Homens, mar, rios e pedras,
inacessíveis estrelas
e a rosa humilde que medra
de ontofânicas folhagens
são realidades nascidas
da excessiva presença
daquele Ser auroral...



Postar um comentário