Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

terça-feira, março 18, 2008

Equinócio da Primavera e Páscoa: um sincretismo




A Igreja Católica Romana absorveu as celebrações pagãs da primavera, oriundas de raízes antiqüíssimas e muito anteriores ao cristianismo. Como a maioria dos antigos festivais pagãos, a celebração do Equinócio da Primavera foi adaptada (ou cristianizada) pela Igreja, aproveitando o fato de que coincidia com a provável data da ressurreição de Jesus Cristo.
Até hoje, o Domingo de Páscoa é determinado pelo antigo sistema do calendário lunar, que estabelece esse dia santo no primeiro domingo após a primeira lua cheia, no, ou após o Equinócio da Primavera.
Durante o Equinócio, os campônios europeus acendiam fogueiras ao nascer do sol, tocavam sinos e decoravam ovos cozidos. Os ovos, símbolos de fertilidade e da reprodução, eram pintados com vários símbolos mágicos ou com as cores do equinócio da primavera, como amarelo ou dourado (cores solares sagradas). Como se vê: o próprio ovo de Páscoa é pré-cristão.
Nos países de origem Celta, nesta época do ano, a Deusa Oster ou Eostre é lembrada e honrada com belíssimos festivais que incluem flores, cores vivas, ovos e lebres. As flores e as cores vivas representam a primavera; os ovos representam a possibilidade de uma nova vida; os rituais são feitos em homenagem à Mãe Natureza, que mais uma vez fertilizará seus campos e nutrirá os homens que vivem sobre o seu leito.
A Lebre da Páscoa era o animal sagrado da deusa teutônica da Primavera, Eostre, deusa lunar da fertilidade, que tinha cabeça de coelho. A palavra inglesa para Páscoa, Easter, provém do nome dessa deusa, também designada Ostara ou Eostar. O dia do culto de Eostre, a Páscoa (Easter), que ainda é praticado pelos seguidores da tradição celta, é no primeiro Domingo depois da primeira Lua Cheia, após o Equinócio da Primavera (hemisfério norte), ocorrendo entre os dias 19 e 22 de Março.
A Lebre, sendo o símbolo da Lua, foi associada à festa cristã da ressurreição, já que a Lua foi utilizada para determinar a data do domingo de Páscoa. Os católicos, “coincidentemente”, através do Concílio de Nicéia em 325, fixariam o dia de Páscoa no primeiro Domingo depois da Lua Cheia, a partir de 21 de Março.
Pensando nessas duas belíssimas e sincréticas celebrações, a celta e a cristã, chegamos à conclusão de que é tempo de renovação, de retomada dos sonhos e dos projetos!
Tempo de renascimento!
Boa Páscoa!
Feliz Equinócio!



Eurico
23/março/2008
(A imagem é A Primavera, de Botticelli )
*******************************************************
Fontes de pesquisa:
Postar um comentário