Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

sexta-feira, agosto 14, 2009

A Ponte (inquietações e cismas)




















Não te direi quem sou,
Pois eu não tenho certezas.
Não passo de uma ponte
Feita de cordoalhas invisíveis.

Estou assim, ponte,
Frágil e pênsil,
A balouçar sobre mim mesmo,
Perigos/a/mente, por sobre o nada que eu sou.
Estou lançado sobre o precipício
Entre o visível e o invisível.

E então me invento ponte,
Com essas cordas indizíveis,
E enlaço os pontos
Que me perpassam nesse instante.
Eu mesmo, o instante
Disso presente, isso volátil,
Em que agora cismo;
Tão breve instante,
Que é o m/eu abismo.



@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Fonte da imagem:
http://escalaambiental.blogspot.com/


@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@
Postar um comentário