Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

terça-feira, dezembro 18, 2007

Evoé!!! Viva a Nova Translação!!!








Todo dia pode ser o primeiro do novo ano.
Ano novo?

Rotações sobre o próprio eixo e translações em torno do Sol, dia após dia, meses a fio, desde o início dos tempos. Eis o que é concretamente a raiz de toda essa euforia.

Uma ilusão.

O que fazemos nós com tudo isso?

Se apenas celebrarmos, como os pré-cristãos, com a mais lúdica e natural maneira pagã,
nada a opor.
Mas essas tolas reflexões, que levam muitos a ponderar sobre as conquistas ou fracassos a que nos induzem as ilusões capitalistas, essas coisas da competição feroz copiadas do american way of life; isso tudo serve apenas para alimentar as depressões e as doenças psicossomáticas de fim de ano.
Por que não celebrarmos o verão, o sol, a chuva, as colheitas, o amor, o sexo e a saúde?
Por que tanta necessidade dessas correrias ao comércio?
Carecemos mesmo é de mais paganismo, de mais alegria com as coisas simples, mas em qualquer dia, ou seja, em qualquer das 365 rotações do ano.

Comemorar as translações?
Comemoremos o instante fugidio,
esse segundo que passou,
as sístoles, sim, comemoremos as diástoles,
e aquilo que acontece junto com elas,
a Vida.

E, por favor amigos, nada de reflexões, de retrospectivas,

sejamos, pelo menos nisso, mais cristãos

ou seja, "vivamos a cada dia a sua preocupação."

EVOÉ!!!

Que venha a nova translação!!!
P. S. :
Meu ano novo começa no dia do Galo da Madrugada kkkkkk Evoé!!!
Saúde, paz e fraternidade!
Eurico
18/12/07
Postar um comentário