Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

quarta-feira, outubro 24, 2007

Lirismo reflexivo

Retrato de Mario de Andrade por Tarsila do Amaral

"Poesia é, a meu ver, uma organização consciente do lirismo subconsciente."
M. de Andrade

Sobre o lirismo no pensamento marioandradino, achei essas interessantes citações, no blog Ensimesmudo.blogspot.com – parapoucos (postagem de 20/08/2004):


Não tão óbvio

Um pouco de teoria?

Acredito que o lirismo, nascido no subconsciente, acrisolado num pensamento claro ou confuso, cria frases que são versos inteiros, sem prejuízo de medir tantas sílabas, com acentuação determinada.

***

A gramática apareceu depois de organizadas as línguas. Acontece que meu inconsciente não sabe da existência de gramáticas, nem de línguas organizadas. E como Dom Lirismo é contrabandista...

***

Canto da minha maneira. Que me importa se não entendem? Não tenho forças bastantes para me universalizar? Paciência. Com o vário alaúde que construí, me parto por essa selva selvagem da cidade. Como o homem primitivo cantarei a princípio só. Mas canto é agente simpático: faz renascer na alma dum outro predisposto ou apenas sinceramente curioso e livre, o mesmo estado lírico provocado em nós, por alegrias, sofrimentos, ideais. Sempre hei de achar também algum , alguma que se embalarão à cadência libertária dos meus versos.

***


Por muitos anos procurei-me a mim mesmo. Achei. Agora não me digam que ando à procura da originalidade, porque já descobri onde ela estava, pertence-me, é minha. Aliás versos não se escrevem para leitura de olhos mudos. Versos cantam-se, urram-se, choram-se. Quem não souber cantar não leia Paisagem nº1. Quem não souber urrar não leia Ode ao burguês.


***


O "Prefácio interessantíssimo" foi publicado como introdução aos poemas de Paulicéia Desvairada, de Mário de Andrade. Este "prefácio" tem a importância de um manifesto que revela alguns ideais do Modernismo.

Fonte:
http://ensimesmudo.blogspot.com/2004_08_01_archive.html

Postar um comentário