Uma Epígrafe



"...Quanto à poesia, parece condenada a dizer apenas aqueles resíduos de paisagem, de memória e de sonho que a indústria cultural ainda não conseguiu manipular para vender."...[Alfredo Bosi, in O Ser e o Tempo da Poesia, p. 133]

sexta-feira, janeiro 17, 2014

VIRA-LATAS DO CARNAVAL - Marcelo D2 abre o carnaval do Recife


Ir à Lisboa, sem ouvir um bom fado? Visitar os hermanos em Buenos Aires, sem ouvir e ver dançar o velho tango argentino? Madri, sem as touradas? (essas eu até dispensaria...) Quem atravessaria o oceano pra ouvir o que já se escuta todo dia por aqui? Quem vai ver o que é que a Bahia tem, abrindo mão de ouvir os timbales, os afoxés e até o axé music. Claro que ninguém vai a Salvador buscando ouvir o techno-brega do norte, nem o carimbó, do Pará, ou o reggae do Maranhão! Para ouvir Pinduca iremos mesmo pro Norte, ora essa! 
Pois é... 
Mas, no Recife, uns burrocratas da prefeitura, querem mudar o curso das coisas e dizem que o frevo está ultrapassado, que os blocos líricos são saudosistas e outras asneiras do tipo. Ninguém aguenta mais isso! Senhores, o fado em Portugal vem de tempos imemoriais, ai mouraria... E é pensando em ouvir um fado, seja da Amália Rodrigues ou da Mariza, que o turista vai a Lisboa. Digam aos fadistas que eles estão ultrapassados... Ora bolas! Senhores gestores, na velha Olinda, o que lota as ruas, as hospedarias, os hotéis e as casas de aluguel é o frevo da Ceroulas, o "pampampampam - pam pam pam" das pequenas orquestras de rua, os eternos bonecos gigantes, que sempre estão lá, ladeira acima, ladeira abaixo, e jamais irão deixar de estar. 
Burros ou com escusos interesses, os gestores do carnaval recifense? Nada contra Marcelo D2, mas por que não Silvério Pessoa, Gerlane Lops, Almir Rouche e outros bons artistas da terra? Entra Prefeito e sai Prefeito e isso não muda! Até quando vamos reclamar desse descalabro! Queremos no Recife, a cultura do recifense, como há o samba no Rio, e o Boi Bumbá, no Amazonas. O que é que há, senhores gestores. Complexo de vira-latas? Apesar de vocês, amanhã há de ser outro dia... 
Postar um comentário